Blog

Alerta: casos de esteatose hepática estão aumentando

No Brasil, pesquisas mostram que mais de 50% da população está acima do peso e 80% dos pacientes com sobrepeso têm esteatose hepática, doença caracterizada pelo acúmulo de gordura no fígado.

O acúmulo de gordura nas células do fígado pode gerar um processo inflamatório que ocasiona a morte dessas células e o fígado passa a apresentar fibrose. Nesses casos, a esteatose hepática evoluiu para esteato-hepatite. Este estágio é bem mais preocupante, pois sem tratamento adequado e rigoroso, o quadro progride para a cirrose hepática.

No Brasil, a cirrose hepática é um problema de saúde grave que pode levar a óbito, uma vez que o único tratamento é o transplante e a fila de espera é muito grande.

A esteatose hepática é uma doença silenciosa, sem sintomas e basicamente tem quatro graus. Os hábitos alimentares dos brasileiros estão cada vez mais parecidos com os da população americana. Nos Estados Unidos, entre 60 e 70% dos americanos possuem algum grau de esteatose hepática. Para reverter o quadro ou evitar a patologia, é necessário controlar o colesterol alto e a glicemia, adotando um estilo de vida saudável, incluindo alimentação equilibrada e atividade física. Esta é única maneira de desinflamar as células, já que não existe medicamento específico.

Evite carboidratos brancos, gorduras e o açúcar. A patologia atinge pessoas de qualquer faixa etária. No entanto, a maior incidência ocorre entre pacientes acima dos 30 anos, pois nesta faixa etária há aumento do nível de colesterol e do açúcar no sangue devido ao envelhecimento.

O diagnóstico da doença é feito através de exames de imagem e laboratoriais. Além da obesidade, outras condições podem desencadear a esteotose hepática como, consumo de álcool, diabetes mellitus e fatores genéticos.

Até o próximo post!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Comentários