Blog

Consumo excessivo de bebidas alcoólicas não é a única causa de cirrose hepática

Uma das doenças hepáticas mais conhecidas é a cirrose. Podemos definir a cirrose como o resultado de uma série de danos contínuos ao fígado, que causam a destruição gradual do órgão.

Na cirrose, as células do fígado são destruídas, formando cicatrizes e nódulos, como o fígado mais à frente, na figura ao lado. Fígados com cirrose podem ficar deformados e, em alguns casos, apresentar necrose. Quanto maior for a área danificada, menor é o número de células hepáticas em funcionamento. Essa deficiência é chamada de insuficiência hepática.

Apesar de ser relacionada diretamente ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, a cirrose não é uma doença exclusiva das pessoas que abusam do álcool. É sabido que o consumo diário de três copos de cerveja ou duas taças de vinho já é considerado como um volume perigoso, que pode causar algum tipo de lesão no fígado.

O consumo regular e excessivo de álcool pode causar a esteatose hepática (gordura no fígado), condição que pode evoluir para hepatite alcoólica, cirrose e, por fim, causar a falência do órgão.

Para saber mais sobre esteatose hepática, leia meu post sobre o assunto!

Além do álcool, as hepatites são grandes vilãs do fígado, podendo causar, em alguns casos, a cirrose. As hepatites virais crônicas, como os tipos A, B e C, quando não tratadas corretamente, prejudicam o fígado por um longo período, destruindo as células saudáveis.

Existem casos de hepatite autoimune, nos quais o próprio corpo passa a produzir anticorpos que atacam o fígado como se este fosse um órgão “estranho”, prejudicando seu funcionamento. Outras doenças que podem causar a cirrose são: hemocromatose, doença de Wilson, fibrose cística, etc.

No início da doença, a cirrose não costuma apresentam sintomas. Por isso, é fundamental manter seus exames de rotina em dia! Exame de sangue a avaliação de um especialista podem detectar a cirrose ainda em estágio inicial, melhorando as chances de tratamento.

Nos casos em que já aparecem os sintomas, pode haver cansaço excessivo, rompimento de vasos sanguíneos, inchaço no abdômen e olhos e/ou pele amarelados.

O tratamento para a cirrose é o transplante de fígado. Pacientes na fila do transplante fazem controle e manutenção dos sintomas e das possíveis complicações da cirrose.

Até o próximo post!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Comentários